04-04-2018

Cadáveres congelados

No Brasil, por força de lei, em aulas de anatomia humana são usados cadáveres de morte natural e não reclamados, conservados em formol, durantes os cursos de graduação e pós-graduação em áreas da Saúde, em especial, Medicina.

Proposta contida em um novo programa de pós-graduação no Sistema Único de Saúde (PGSUS), com foco em medicina de família e comunidade e urgência e emergência pode modificar essa conduta: a intenção é trazer os corpos congelados dos EUA, onde se permite tal meio de conservação.

Como explicou Ricardo Ribeiro, presidente do Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas ao jornal Folha de SP, a vantagem do uso de cadáveres congelados é a de serem preservadas as estruturas anatômicas, de modo a permitir melhor visão de vasos por onde passam os nervos.

Com o formol não há preservação da cor e estruturas.

Existem algumas desvantagens em estudar cadáveres congelados, em comparação ao formol.  Entre elas figura a decomposição dos corpos, que tem início horas depois do descongelamento, e maior risco de contaminação.

ANVISA
Para que essas intenções serem colocadas em prática, no entanto, é necessário ainda o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Este é um dos primeiros projetos do PGSUS, e acontece na cidade de Penedo, em Alagoas, que tem a prefeitura entre as parceiras, ao lado da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio); Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas; e a Miami Anatomical Research Institute (MARC) – aliás, considerado o maior centro de treinamento no mundo nesta área e que será responsável por trazer os cadáveres dos EUA.

Naquele país, ao contrário do Brasil, há uma cultura sólida de doação de corpos à Ciência, sendo que a contrapartida é cremar e devolver as cinzas à família, depois dos estudos.

Fonte: Folha de SP


Esta página teve 84 acessos.

(11) 5908-5647
cbio@cremesp.org.br
Twitter twitter.com/CBioetica

Rua Frei Caneca, 1282 - Consolação - São Paulo/SP - CEP: 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO - (11) 5908-5600 das 8h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE - das 9h às 18h