19-07-2018

Grávida, depois do divórcio

Ruby Torres sempre pensou em ter filhos. Quando foi diagnosticada com câncer de mama, em 2014, decidiu se submeter à fertilização in vitro. “Um dia, queria me tornar mãe", disse Torres à rede americana CBS. "Como não tinha certeza sobre o futuro, queria garantir que tivesse essa opção e oportunidade.”

Os médicos usaram seus óvulos e o esperma de seu então noivo para formar sete embriões. Porém, quando foi dada como curada e decidiu engravidar, o casal estava em fase de divórcio – e ele não queria filhos.

O caso chegou à justiça que negou a Torres o uso dos embriões. “Fiquei desapontada e com raiva”, afirmou a mulher. “Há o potencial de crianças com meu DNA nascerem, mas eu nunca as verei”, lamentou.

A situação dela (e de muitas outras pessoas envolvidas em controvérsias semelhantes e que vivem no Arizona, EUA), pode mudar: no dia 1º de julho entrou em vigor uma nova lei naquele estado, que determina o acesso do cônjuge interessado em ter filhos aos embriões congelados antes da separação.

Intenções opostas

Apesar da decisão legal, um consenso popular parece longe de ser alcançado. Por um lado, há os defensores da lei, que alegam que esta protegerá o direito de um parceiro a seus embriões. Os opositores dizem que isso pode forçar as pessoas a se tornarem pais contra sua vontade.

Claudia Work representa o ex-marido de Torres, John Terrell. Ela diz que a lei pode ter consequências devastadoras para pessoas como seu cliente. "Você está esperando seguir em frente, mas tem uma ex que basicamente pede para você engravidá-la e criar um laço duradouro ", disse Work.

Em tempo: a nova lei diz que o cônjuge que não quer o uso dos embriões "não tem responsabilidades parentais, ou seja, nenhum direito, obrigação ou interesse em relação à criança”. Isso significa, por exemplo, que não serão forçados a pagar pensão alimentícia.

“Mesmo que a lei declare que eles não são pais legais, eles ainda são pais emocionais", disse Work. "Porque é praticamente impossível para uma pessoa se ignorar emocionalmente do fato de que sua ex teve um filho biológico seu”.

Fonte: Rede CBS


Esta página teve 142 acessos.

(11) 4349-9983
cbio@cremesp.org.br
Twitter twitter.com/CBioetica

Rua Frei Caneca, 1282 - Consolação - São Paulo/SP - CEP: 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO - (11) 4349-9900 das 8h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE - das 9h às 18h