15-02-2018

Zika e Microcefalia

Pesquisa que comprovou a associação do surto de vírus Zika com bebês nascidos com microcefalia no Nordeste do Brasil é o vencedor da 17ª edição do Prêmio Péter Murányi, mantido por fundação cujo objetivo é reconhecer e premiar trabalhos que, de forma inovadora, melhorem a qualidade de vida das populações em desenvolvimento.

O trabalho, coordenado por Celina Turchi, do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), em Pernambuco, indicou também a relação do vírus com o aumento da mortalidade de fetos.

De janeiro a novembro de 2016, tal estudo epidemiológico – o primeiro que estabeleceu a associação entre microcefalia e infecção pelo vírus Zika –, acompanhou, a gestação de mulheres atendidas em oito maternidades públicas do Recife. Durante o período, 32 recém-nascidos foram diagnosticados com microcefalia. Testes laboratoriais apontaram a presença de infecção por Zika em 13 deles.

Os resultados obtidos pelo grupo permitiram que fossem criadas medidas de combate ao mosquito transmissor do vírus Zika, como a distribuição de repelentes para grávidas moradoras de áreas de risco para a doença e o acompanhamento de crianças portadoras de microcefalia. Auxiliou também na análise clínica das infecções.

Fonte: Agência FAPESP


Esta página teve 266 acessos.

(11) 5908-5647
cbio@cremesp.org.br
Twitter twitter.com/CBioetica

Rua Frei Caneca, 1282 - Consolação - São Paulo/SP - CEP: 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO - (11) 5908-5600 das 8h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE - das 9h às 18h