30-01-2018

Resistência a antibióticos

No dia 29 de janeiro a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou sobre a resistência generalizada a antibióticos, que, de acordo com estudo, chegou a 82% em algumas regiões do mundo. Incluem-se entre os microrganismos com níveis variados de resistência a Escherichia coli, que provoca infeções do trato urinário, e as bactérias Klebsiella pneumoniae, Staphylococcus aureus e Streptococcus pneumoniae, que causam a pneumonia.

Promovido pela própria Organização, o estudo analisou pacientes com suspeita de infecção sanguínea em diversos países: as bactérias resistentes a pelo menos um dos antibióticos variaram de zero a 82%. Uma das informações mais importantes obtidas dá conta de que a resistência à penicilina, usada há décadas para tratar a pneumonia, variou de zero a 5% entre as nações incluídas no levantamento.

Entre 8% a 65% de infectados pela bactéria E. Coli apresentaram resistência ao antibiótico ciprofloxacina, usado no tratamento da infecção.

Vigilância
Recentemente a OMS lançou o Sistema Mundial de Vigilância da Resistência aos Antimicrobianos, com o objetivo de “padronizar a coleta de dados dos países, para dar uma imagem mais completa dos padrões e tendências”.

Brasil e Moçambique são os únicos países de língua portuguesa incluídos nesse sistema, que envolve 25 países de alta renda, 20 de renda média e sete de baixa renda.

ONU News


Esta página teve 345 acessos.

(11) 4349-9983
cbio@cremesp.org.br
Twitter twitter.com/CBioetica

Rua Frei Caneca, 1282 - Consolação - São Paulo/SP - CEP: 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO - (11) 4349-9900 das 8h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE - das 9h às 18h